CONFLITOS POLÍTICOS VOLTAM A ASSOLAR BOCOIO


Texto: Bento Adriano

Mais uma vez os conflitos físicos por conta das cores partidárias, voltaram a assolar Bocoio. Trata-se de um acto recente ocorrido as 14 horas do dia 14 na comuna do Cubal do Lumbo, quando um grupo com mais de 50 pessoas pertencentes ao partido MPLA invadiram uma localidade habitada por militantes da UNITA.

Segundo o senhor Manuel Palanca, a situação ocorrida tem a sua origem nas eleições de 2017 com o desaparecimento do cidadão que em vida chamava-se José Praia, e acusaram delegados de listas da UNITA de perpetrarem o acto de rapto e morte do cidadão. Para além da prisão de 15 dias que sofreram, conta que os militantes acusados estavam a receber ameaças de sequestro. Nesta senda decidiram dirigir-se ao comando da polícia no sentido de apresentarem queixa, mas foram aconselhados pelos seus superiores para não o fazerem, pois a queixa deverá ser feita em conjunto com o secretário municipal do partido.

Os militantes do MPLA pensaram que os mesmos estavam a planificar um ataque contra os agentes da polícia, e decidiram invadir aquela povoação. Foi então que as 14 horas o grupo vindos da Povoação da Balança a 14 km de distância, chegaram no Cubal do Lumbo e sem consultar a sua direção cercaram o comité da UNITA e as residências ao redor, e com pedras e catanas começaram a pelejar contra os que lá se encontravam. Os militantes da UNITA se reuniram no momento para darem resposta, mas outro grupo composto por mais pessoas vieram para reforçar os invasores e a população teve que se refugiar nas matas. 

Dos danos causados constam a morte de dois porcos; cinco cadeiras destruídas; sete cadeiras levadas; Onze Motorizadas destruídas, a porta principal e a janela do Secretariado da UNITA destruídas com catanas, 20 litros de gasolina despejada em cima das cadeiras e depois incendiadas, Uma mesa plástica quebrada, quatro Baldes e quatro Bacias destruídas, uma cozinha onde havia 7 panelas, um jogo de tigelas térmicas e 15 pratos e talheres queimada; uma antena parabólica destruída.

Jovem Baleado

No dia seguinte, uma equipa da Omunga deslocou-se até o Local para constatar as principais causas, e encontraram uma comissão chefiada pelo administrador municipal e o secretário municipal da UNITA no Bocoio, numa actividade com as comunidades sobre pacificação. A referida actividade realizou-se depois com populares da povoação da Balança.

Apensar das actividades, o administrador adiantou falar para os meios de comunicação social em momento oportuno.

De lembrar que esta tensão já se havia notado durante o encontro realizado a 12 de Dezembro de 2018, onde participou o activista e jornalista Rafael Marques de Morais

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.