PIÇARRA CONVERSA COM OS BENGUELENSES SOBRE O “MAMBO RIJO”


PIÇARRA CONVERSA COM OS BENGUELENSES SOBRE O “MAMBO RIJO”

Lobito, 09.06.2017

Sérgio Piçarra, cartunista angolano, esteve em Benguela a convite da OMUNGA de 26 de Maio a 2 de Junho.

A agenda do criador do Mankiko, foi bastante ocupada com actividades diversas que passaram entre lançamento da sua mais recente obra, “Mambos Rijos”, sessões de autógrafos, encontros com estudantes, activistas e crianças, para além de exposição.

As actividades iniciaram a 27 de Junho, pelas 11 horas, no Hotel Praia Morena, com o lançamento do livro Mambos Rijos e sessão de autógrafos. Em volta da mesa, perto da piscina do hotel, Piçarra foi dialogando com os presentes, respondendo a perguntas e deixando opiniões.

A partir da segunda-feira, 29, manteve encontros com activistas da OMUNGA, da OKUTIUKA e do Movimento Revolucionário. Estes encontros tiveram lugar nos escritórios da OMUNGA. A ideia foi o de se abordar técnicas de intervenção não violentas, como o cartoon e a banda desenhada. Por seu turno, os activistas falaram da sua experiência e dificuldades de intervirem a nível da província de Benguela.

Na mesma altura, durante as manhãs, Sérgio Piçarra encontrava-se com as crianças que frequentam as oficinas de jornalismo que a OMUNGA implementa junto de 3 escolas primárias públicas do Lobito.

Já na quarta-feira, 31, o “pai de Mankiko” manteve um encontro com estudantes do Instituto Superior Politécnico de Benguela. Aproveitou ainda para vender alguns exemplares do seu mais recente livro autografados.

O programa terminou na quinta-feira, 1, onde teve uma exposição de alguns dos cartoons do autor, no Café-Boutique Chiquitos, em Benguela. Houve mais uma sessão de venda de livros autografados.

Durante as actividades, Piçarra fez entrevistas para diferentes órgãos de comunicação social, nomeadamente TV Zimbo, VOA, Rádio Ecclésia e DW.

Acompanhe algumas passagens destas actividades.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.