LAMINE BATCHIALY LAMENTA A FALTA DE PASSAPORTE PARA DESLOCAR-SE DE ANGOLA E IMIGRAR PARA OUTRO PAÍS


“Preciso de passaporte para poder ser operado fora do país, só que o processo está a demorar muito”, exprimiu Lamine a necessidade de prosseguir com o tratamento no exterior do país.

Em Janeiro de 2020 Lamine Batchialy endereçou uma carta ao Serviço de Migração Estrangeiro (SME) a solicitar a permissão do passaporte para o estrangeiro. Acrescentou ainda, que no mesmo ano teve uma audiência com o director nacional de Migração que prometeu analisar a sua situação e em seguida dar uma resposta, “falamos com o próprio director em fevereiro do ano passado”.

Até a data em que falou aos microfones da Omunga, o cidadão da Costa do Marfim, não obteve respostas satisfatórias por parte do SME.

O cidadão em causa encontra-se com 31 anos de idade, residente em Angola há mais de 8 anos, na condição de requerente de asilo. Conta que há mais de 10 anos convive com graves problemas de saúde visual.

Lamine descreve o triste episódio que tem passado, “desde que estou em Angola, já fui fazer consulta no hospital geral de Benguela, na Boa Vista e na Cidadela, mas continuo na mesma situação, não houve mudanças. Nos últimos tempos já não tenho recebido acompanhamento médico, só tenho estado a cumprir com a medicação”.

Segundo o relatório médico que tivemos acesso, refere que o lesado tem sentido dores no olho direito e comichão. Fez cirurgia de Catarata já há 20 anos, isto na Costa do Marfim, mas sem sucesso.

Durante a entrevista, Lamine lamentou, “não consigo dormir bem, os olhos estão sempre a doer tanto de dia como à noite, a situação não está mesmo boa, está muito difícil”.

Por sua vez, neste presente mês de Março, a Omunga endereçou uma carta ao Exmo. Ministro do interior, Eugénio Laborinho, solicitando a sua intervenção para que Lamine possa sair de Angola para o tratamento, até ao momento aguarda-se por esta prestimosa intervenção.

Texto: Mandy Assureira;

Revisão: Luísa Nambalo;  

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.